4
February
#WorldCancerDay
#WeCanICan

WCD2018 - Global Press Release (Brazilian Portuguese)

No Dia Mundial do Câncer, os líderes contra o câncer exigem acesso igualitário para reduzir em 25% as mortes prematuras causadas pelo câncer  

  • O Dia Mundial do Câncer de 2018 destaca a lacuna de igualdade global no acesso a detecção precoce, tratamento e cuidados
  • A UICC exige um acesso mais igualitário para reduzir o câncer prematuro e as mortes por doenças não-transmissíveis em 25% até 2025, de acordo com os objetivos da OMS
  • Estatísticas consolidadas de país por país sobre incidência e mortalidade por câncer, planos e registros nacionais de controle de câncer e acesso à radioterapia com base nos dados mais recentes do GLOBOCAN e da OMS 

Sábado, 3 de fevereiro de 2018 – Dia Mundial do Câncer: No domingo, 4 de fevereiro, o Dia Mundial do Câncer conscientiza sobre as milhões de pessoas em todo o mundo que enfrentam acesso desigual à detecção, ao tratamento e aos serviços de cuidados para o câncer. Com os líderes contra o câncer, profissionais de saúde e apoiadores em todo o mundo pressionando por ações urgentes para reduzir a taxa de mortes prematuras causadas pelo câncer globalmente, o dia exige que o acesso ao diagnóstico e ao tratamento seja priorizado.  

O objetivo global de uma redução de 25% nas mortes prematuras causadas pelo câncer e por doenças não transmissíveis* (DNTs) até 2025 é possível. No entanto, para cumprir esse compromisso global, deve-se abordar as desigualdades atuais na exposição aos fatores de risco e no acesso à triagem, à detecção precoce e ao tratamento e cuidados oportunos e adequados.

Professor Sanchia Aranda, Presidente da UICC e CEO do Conselho de Câncer da Austrália:

“Definido em 2011, o objetivo da Organização Mundial da Saúde de reduzir as mortes prematuras por DNTs em 25% em 14 anos está chegando ao meio do caminho. Podemos atingir a meta, mas será necessária mais ação do que nunca. A desigualdade no acesso à prevenção, ao diagnóstico, ao tratamento e atendimento dificulta a redução das mortes prematuras por câncer. Se estamos empenhados em atingir esse objetivo, devemos agir de maneira rápida e decisiva para tornar o acesso aos serviços contra o câncer mais igualitários em todo o mundo.” 

O Dia Mundial do Câncer, liderado pela União Internacional para Controle do Câncer (UICC, sigla em inglês), reúne todos os anos as vozes do mundo contra o que a Organização Mundial de Saúde (OMS) reconheceu recentemente pela primeira vez como a principal causa de morbidade global[1].

Hoje, há uma estimativa de 8,8 milhões de mortes causadas por câncer a cada ano[2]. No entanto, são os países de baixa a média renda que estão carregando o peso, já que cerca de 70% das mortes ocorrem em países em desenvolvimento, que são os mais mal preparados para lidar com o impacto de câncer[3]. A área com a desigualdade mais grave é a dos cânceres infantis – um grupo específico que a OMS ressaltou em sua Resolução sobre câncer de 2017 – com taxas de sobrevivência superiores a 80% em países de alta renda e que chegam a 20% em países de baixa renda[4].

As desigualdades também são experimentadas de maneira aguda em países de renda alta a média, particularmente em determinadas populações, incluindo as populações indígenas, rurais, de imigrantes, refugiados e de nível socioeconômico inferior.    

Professor Sanchia Aranda:

“No último ano da campanha “Nós podemos. Eu posso.” para o Dia Mundial do Câncer, esperamos inspirar uma ação real dos governos e da sociedade civil para enfrentar as desigualdades no diagnóstico, tratamento e atendimento a pacientes com câncer, que infelizmente afeta principalmente as populações mais vulneráveis ​​de todos os países. Na Austrália, ao mesmo tempo que temos alguns dos melhores resultados contra o câncer do mundo, os dados nacionais mostram que a diferença entre as pessoas de grupos socioeconômicos mais altos e mais baixos continua a aumentar ao longo do tempo. Essas vozes negligenciadas devem ser representadas com mais força em nossas discussões neste Dia Mundial do Câncer.”

Um exemplo agudo de uma lacuna de acesso global que afeta particularmente os desatendidos e desfavorecidos é o acesso à radioterapia. Como um dos principais métodos de tratamento para câncer, recomenda-se a radioterapia para 52% dos pacientes com câncer[5]. Evidentemente, a lacuna entre necessidade e disponibilidade é maior em países de baixa a média renda; 90% dos pacientes com câncer de países de baixa a média renda não têm acesso à radioterapia[6]. Contudo, problemas de acesso a esse tratamento crítico também abrangem vários países. Na China continental, existe uma escassez grave de serviços de radioterapia, com o acesso variando amplamente de província para província. Dependendo de onde se mora na Inglaterra§, os pacientes podem enfrentar variações significativas – de 20% a 70% – no acesso à radioterapia de intensidade modulada, uma forma avançada de tratamento com radioterapia[7].

Como uma resposta urgente à lacuna de igualdade global e à necessidade crítica de uma resposta interna, a UICC lançou oficialmente a campanha Tratamento para todos. É a segunda nova iniciativa da UICC em tantos anos para mobilizar ações nacionais para melhorar o acesso ao diagnóstico e tratamento contra o câncer, e é um reconhecimento direto de que o impacto do câncer não pode ser aliviado exclusivamente por meio da prevenção para reduzir a incidência de câncer. Dr. Cary Adams, Diretor Presidente da UICC:

“O tsunami dos casos de câncer previstos para as próximas décadas exige uma resposta persuasiva e robusta em todos os níveis – global e nacional. A iniciativa Tratamento para todos, juntamente com sua iniciativa irmã, C/Can 2025:  Desafio do Câncer nas Cidades, servirá para acelerar o progresso, transformando compromissos globais em ações nacionais baseadas em evidências, segurança e qualidade.”

Ao capacitar indivíduos, cidades, países e governos para alavancar os quatro pilares da iniciativa Tratamento para todos sobre tratamento e cuidados com o câncer, podemos alcançar:

  • Melhor qualidade de dados sobre câncer para uso em saúde pública
  • Aumento do número de pessoas com acesso à detecção precoce e diagnóstico preciso de câncer
  • Tratamento mais oportuno e de qualidade para doença precoce e metastática
  • No mínimo, um atendimento básico paliativo e de suporte para os 32,6 milhões de pessoas que vivem com câncer atualmente[8].

Hoje, no Dia Mundial do Câncer, "Nós podemos. Eu posso.” melhorar o acesso e cumprir o objetivo global de uma redução de 25% dos casos de câncer e das mortes prematuras por DNTs até 2025.

*Doenças não transmissíveis - ou crônicas - são doenças de longa duração e geralmente de progressão lenta. Os quatro principais tipos de DNTs são doenças cardiovasculares, câncer, doenças respiratórias crônicas e diabetes.
A comunidade global comprometeu-se a reduzir as mortes prematuras por câncer e as DNTs em 25% até 2025, conforme estabelecido no Plano de Ação Global para a Prevenção e Controle de Doenças Não Transmissíveis
As principais modalidades de tratamento contra o câncer incluem radioterapia, cirurgia e medicamentos, incluindo quimioterapia
§A grande disparidade nos serviços para o tratamento do câncer e os resultados obtidos pelos pacientes dependendo de onde a pessoa mora, muitas vezes é chamado de Loteria de Código Postal

-FIM-

Notas aos editores

Sobre o Dia Mundial do Câncer 2018

O Dia Mundial do Câncer acontece todos os anos no dia 4 de fevereiro e é a única iniciativa sob a qual o mundo pode se unir para aumentar a visibilidade do câncer de maneira positiva e inspiradora. Liderada pela União Internacional para Controle do Câncer (UICC), o Dia Mundial do Câncer ocorre pelo último ano sob o slogan "Nós podemos. Eu posso.”, que aborda como todos – juntos ou individualmente – podem fazer a sua parte para reduzir o impacto mundial do câncer. Da mesma forma que o câncer afeta todos de maneiras diferentes, todas as pessoas têm o poder de agir para reduzir o impacto que a doença tem. O Dia Mundial do Câncer é uma chance de refletir sobre o que pode ser feito, de se comprometer e de agir.

Para mais informações, visite: www.worldcancerday.org

Sobre as atividades e eventos locais do Dia Mundial do Câncer

Associações locais e internacionais de todo o mundo estão se juntando para realizar eventos dedicados à conscientização e à educação sobre o câncer, incluindo a Corrente para Mudança do Canadá e o Caminhada de Guerreiros contra o Câncer Um Passo por Vez da África do Sul. Para obter mais informações sobre eventos específicos, visite: www.worldcancerday.org/map

Sobre a União Internacional para Controle do Câncer (UICC)

A UICC é a maior organização internacional de luta contra o câncer, com mais de 1.000 organizações associadas em 160 países, representando as sociedades de câncer, os ministérios da saúde, os institutos de pesquisa, os centros de tratamento e os grupos de pacientes mais relevantes do mundo. A organização dedica-se a convocar, gerar recursos e defender iniciativas que unam a comunidade afetada pelo câncer para reduzir o impacto global da doença, promover uma maior igualdade e integrar o controle do câncer na agenda mundial da saúde e do desenvolvimento. 

A UICC e seus parceiros multissetoriais estão comprometidos em encorajar os governos a focarem na implementação e ampliação de programas sustentáveis ​​e de qualidade que abordem o impacto global de câncer e outras DNTs. A UICC também é membro fundador da Aliança contra DNTs, uma rede mundial da sociedade civil que representa, atualmente, quase 2.000 organizações em 170 países.

Para mais informações, visite: www.uicc.org

Sobre Tratamento para todos

Ao longo dos últimos sete anos, a União Internacional para Controle do Câncer (UICC) uniu a comunidade contra o câncer para posicionar o câncer na agenda global de saúde e desenvolvimento, com inclusão do câncer e doenças não transmissíveis nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) em 2015 e culminando com a adoção bem-sucedida de uma resolução de câncer na Assembleia Mundial da Saúde em 2017.
 

"Tratamento para todos" é o nome de uma iniciativa nova, arrojada e inspiradora executada pela UICC. Essa iniciativa convoca a comunidade internacional contra o câncer para abordar a lacuna de igualdade global no acesso aos serviços de tratamento do câncer, apoiando-se em quatro pilares essenciais do tratamento e dos cuidados do câncer:

  • Melhorar a qualidade de dados sobre câncer para uso em saúde pública
  • Aumentar o número de pessoas com acesso à detecção precoce e diagnóstico preciso de câncer
  • Fornecer tratamento mais oportuno e de qualidade para doença precoce e metastática para todos
  • Fornecer um serviço básico de apoio e cuidados paliativos para todos.

Para mais informações, visite: www.uicc.org/TreatmentforAll

Tabelas de dados consolidados:

  1. Incidências de câncer e mortalidade por país (Organização Mundial da Saúde, 2012)
  2. Países com planos nacionais de controle de câncer e registros de câncer (Organização Mundial da Saúde, 2014)
  3. Número de máquinas de radioterapia e máquinas por um milhão de habitantes por município (IAEA, 2017)

Para acessar as tabelas de dados, visite: www.worldcancerday.org/exclusive-content-uicc-members

Contatos de mídia:

Timothy Wild
Email: twild@maitland.co.uk
Tel: +44 (0)7920 702 850

Patricia Galve
Email: galve@uicc.org
Tel: +41(0)22 809 1816


[1] Organização Mundial da Saúde (2017) 70ª Assembleia Mundial da Saúde, item 15.6 da pauta: Cancer prevention and control in the context of an integrated approach (Prevenção e controle do câncer no contexto de uma abordagem integrada) [Acessado em: 21.12.17] http://apps.who.int/gb/ebwha/pdf_files/WHA70/A70_R12-en.pdf

[2]  Ficha de informações sobre o Câncer da Organização Mundial da Saúde (2017) [Acessado em: 20.12.17] http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs297/en/

[3] Organização Mundial da Saúde (2017) Cancer Fact Sheet (Ficha de informações sobre o câncer). [Acessado em: 20.12.17] http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs297/en/

[4] Childhood Cancer International, 8 Reasons why Childhood Cancer should be a global child health priority (8 razões pelas quais o câncer infantil deve ser uma prioridade global para a saúde infantil) [Acessado em: 10.01.2018] http://childhoodcancerinternational.org/8-reasons-why-childhood-cancer-should-be-a-global-child-health-priority/

[5] Barton, Frommer & Shafiq (2006) Role of radiotherapy in cancer control in low-income and middle-income countries, Lancet Oncology 7(7): 584-595 [Acessado em 24.04.2017] http://thelancet.com/pdfs/journals/lanonc/PIIS1470-2045(06)70759-8.pdf

[6] Zubizarreta et al. (2015) Clin Oncol (R Coll Radiol) 27(2):107-14 [Acessado em 24.04.2017] https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pubmed/25455407

[8] GLOBOCAN 2012 (Agência Internacional de Pesquisa em Câncer), Estimated Cancer Incidence, Mortality and Prevalence in Nigeria in 2012 (Incidência, Mortalidade e Prevalência Estimada de Câncer na Nigéria em 2012) [Acessado em: 20.12.17] http://globocan.iarc.fr/Pages/fact_sheets_cancer.aspx